Translate

domingo, abril 22, 2012

Vamos julgar os MENSALEIROS - Dep.Josias Gomes (PT-BA)


   MENSALÃO DO LULA  "cara de pau " e os companheiros PTralhas  ,O MAIOR ESCANDALO DO BRASIL !
        E ninguém  foi PRESO !






4 DE ABRIL DE 2006 - 19H26 

Conselho de Ética pede cassação de Josias Gomes


Por 10 votos a 1, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados votou o pedido de cassação do deputado Josias Gomes (PT-BA), nesta terça-feira (4). A única a se manifestar contra o texto do relator, deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP), foi a depu




Por 10 votos a 1, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados votou o pedido de cassação do deputado Josias Gomes (PT-BA), nesta terça-feira (4). A única a se manifestar contra o texto do relator, deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP), que recomenda a perda do mandato, foi a deputada Neyde Aparecida (PT-GO), que apresentou voto em separado contra a cassação.

Josias Gomes foi citado no relatório parcial das comissões parlamentares mistas de inquérito (CPMIs) dos Correios e da Compra de Votos como beneficiário de recursos do caixa dois do PT, repassados pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. Ele confirma ter recebido, por recomendação do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, R$100 mil para pagar despesas de campanha do partido na Bahia, mas nega ter tido conhecimento de que o dinheiro era de fonte ilícita.

A decisão final sobre o processo cabe ao Plenário, que pode seguir ou não a recomendação do Conselho de Ética. Gomes acredita na possibilidade de ser absolvido e disse que não pretende recorrer da decisão do conselho na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). "Espero ser absolvido, como todas as pessoas que involuntariamente foram induzidas ao erro", afirmou.

O deputado voltou a argumentar que uma prova de que não estava cometendo nenhum ato ilícito é o fato de ter deixado uma cópia de sua carteira parlamentar no banco. Em seu depoimento no conselho, Josias Gomes disse que recebeu os R$100 mil em duas parcelas de R$50 mil: a primeira na sede nacional do PT em Brasília e a segunda na agência do Banco Rural do Brasília Shopping.
"Eu confiava plenamente em que estava recebendo recursos legais, do caixa do partido", disse, ao confirmar que recebeu R$ 100 mil para pagar despesas de campanha do PT baiano, em 2002.
O deputado disse ainda que, antes das denúncias pela imprensa, nunca ouvira falar do suposto "mensalão". Ele ressaltou que toda sua carreira política e vida pessoal sempre foram pautadas pela "ética e retidão".
Segundo lembrou Mendes Thame, Josias Gomes reconheceu que, como presidente estadual do PT na Bahia, intermediou a distribuição dos R$100 mil para companheiros de partido pagarem dívidas de campanha. No entanto, destacou Thame, essa intermediação foi feita na "informalidade absoluta" e, assim, no "total desrespeito" à legislação. "Não dá para ignorar que foram infringidas normas legais no recebimento de dinheiro para beneficiar políticos da Bahia", afirmou.
Com Agência Câmara

De acordo com informação publicada pela Folha Online em 03.05.2006, assim foi a absolvição de Josias:
 “com o plenário esvaziado, a Câmara dos Deputados absolveu nesta quarta-feira o deputado Josias Gomes (PT-BA) do processo de cassação por quebra de decoro parlamentar. Ele é acusado de receber R$ 100 mil do esquema do “valerioduto”.
Ele foi absolvido com 228 votos favoráveis à cassação, 190 contrários, 19 abstenções, 5 em branco e 1 nulo. São necessários 257 votos para cassar um mandato.
Josias Gomes foi o 10º acusado de envolvimento com o “mensalão” a ser absolvido pelo plenário. Dos 19 acusados de envolvimento com o “mensalão”, quatro renunciaram para escapar da cassação e apenas três foram cassados –Roberto Jefferson (PTB-RJ), José Dirceu (PT-SP) e Pedro Corrêa (PP-PE).
Os deputados de oposição alegaram que Josias Gomes escapou da cassação porque o plenário estava esvaziado. No início da sessão, apenas 280 parlamentares estavam presentes.


SE LIGA BRASIL











POLITICO BOM É POLITICO PRESO