Translate

segunda-feira, dezembro 05, 2011

MPF denuncia secretário e funcionários públicos de Belford Roxo(SUCUPIRA ) por desvio de verbas do programa Projovem Trabalhador





    O Município de SUCUPIRA ( Belford Roxo ) caminha para o futuro ; Prefeito , Vereadores , Secretários , Funcionários Públicos e o ex Ministro Carlos LUPIDRÃO , CAMINHAM  de  mãos DADAS  rumo a CORRUPÇÃO . 

INSTITUTO CASTRO ROCHA - ICRO

Nosso Instituto, hoje no mundo globalizado, tem como principal objetivo, dentro dos fenômenos sociais que ocorre em escala global crescente, a integração no caráter educacional, social, econômico, cultural, ambiental dentro dos diferentes niveis político, devido o crescimento da interdependência dos povos e países da superfície terrestre.

 E vamos  ROUPAR , NESSE MUNDO GLOBALIZADO !!!!!

25/11/2009 - Lupi e Rolim assinam Projovem Trabalhador



   Mais uma ONG envolvida em CORRUPÇÃO ( MALDITAS ONGs ) , mais um envolvimento do ex Ministro CARLOS LUPIDRÃO  nas prefeituras dos PTralhas , esse Projovem tem valor estimado de 7milhões . 

5/12/2011 - MPF denuncia secretário e funcionários públicos de Belford Roxo por desvio de verbas do programa Projovem Trabalhador 
Instituto forjava aplicação dos recursos repassados pelo Ministério do Trabalho para qualificação de jovens
O Ministério Público Federal (MPF) em São João de Meriti (RJ) ofereceu denúncia na Justiça Federal contra o secretário municipal de Controle de Belford Roxo, Jorge Antônio Oliveira Porto, o ex-subsecretário de Trabalho do município e mais dois funcionários da prefeitura envolvidos em um esquema de desvio de verbas do programa Projovem Trabalhador, do Ministério do Trabalho. O MPF apurou que recursos destinados a qualificação profissional de jovens foram desviados para as contas dos denunciados, seus familiares e terceiros (processo nº 2011.51.10.001818-6).
Nessa segunda (5), a Polícia Federal cumpriu dois mandados de busca e apreensão na prefeitura de Belford Roxo e na sede do Instituto Castro Rocha (ICRO), organização não governamental que recebeu recursos do programa Projovem Trabalhador em convênio firmado com a Secretaria Municipal de Trabalho de Belford Roxo. O Instituto recebeu R$ 235 mil – em duas parcelas de R$ 117,5 mil - para qualificar 400 jovens e inserir 120 deles no mercado de trabalho. Administrado de fato pelos funcionários da Secretaria Municipal de Controle Jeferson Castro Joaquim da Rocha e Elizabeth Conceição, o ICRO não prestou os serviços previstos no convênio, cometendo diversas irregularidades como a não distribuição de auxílio-transporte, material didático e lanche aos alunos, a falta de estrutura para a aplicação de aulas práticas, a ausência de aulas de inclusão digital, fraudes no controle de frequência dos jovens, entre outras.
Na denúncia do MPF, Jeferson e Elizabeth são acusados de forjar a execução do Programa Projovem no ICRO e desviar os recursos. Por trabalharem na Secretaria Municipal de Controle, responsável pela fiscalização do convênio, eles também ajudavam a aprovar a prestação de contas do Instituto e a liberar as verbas. O secretário Jorge Antônio Porto foi denunciado por auxiliar na aprovação irregular das contas, acobertando as ilegalidades.
“Neste caso de Belford Roxo, chegou-se ao absurdo de o fiscal e fiscalizado serem as mesmas pessoas. Contudo, a origem das ilegalidades ocorridas no Projovem está principalmente no fato de organizações não governamentais sobreviverem unicamente com recursos repassados pelos governos". - disse o procurador da República Sérgio Luiz Pinel Dias.
A terceira e última parcela do convênio, no valor de R$ 235 mil, não foi desviada pelo grupo porque o MPF conseguiu seu bloqueio na justiça. Os denunciados responderão pelo crime de peculato (pena de 2 a 12 anos e multa).
Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Rio de Janeiro
Tels: (21) 3971-9460/9488
http://twitter.com/MPF_PRRJ


 SE LIGA BRASIL 

POLITICO BOM É POLITICO PRESO