Translate

sábado, outubro 11, 2014

O 5° comando criminoso do Estado do Rio de Janeiro -COMANDO AZUL .



    Na década de 70 surgiu no Rio de Janeiro , um grupo de criminosos que controlavam as favelas . No inicio chamavam-se
"FALANGE VERMELHA ", conhecido hoje como Comando Vermelho , esse comando nasceu no presidio da Ilha Grande -RJ





  Já na década de 90 , outro comando saiu do Complexo Penitenciário de Bangu-RJ, a "FACÇÃO CRIMINOSA AMIGOS DOS AMIGOS-(ADA) ", rival do Comando Vermelho .






  No final dos anos 90 surgiram ás Milicias Armadas , integradas por POLICIAIS ,EX-POLICIAIS, CIVIS E MILITAR, AGENTES PENITENCIÁRIOS ,BOMBEIROS e POLÍTICOS . No início de sua criação o objetivo era expulsar das comunidades traficantes . Mas o gosto pelo dinheiro fácil mudou o rumo , e passaram a explorar os moradores , televisão a cabo, gás, mototaxistas , taxas para a segurança do comercio e control do transportes alternativo.  



Em 2002 outra facção apareceu o " Terceiro Comando Puro ( TCP) ". Essa facção criminosa surgiu depois de um racha entre os integrantes da facção Amigos dos Amigos -ADA .




        As Milicias sempre tiveram a proteção dos POLÍTICOS , COMANDO DA POLICIA MILITAR e da SECRETARIA de SEGURANÇA do Estado do Rio de Janeiro . 

  Não demorou muito para alguns oficiais da Policia Militar do RJ, perceber que em vez de proteger essa Milicia , podiam tomar conta de tudo inclusive o trafico . Foi criado dentro da nossa Policia Militar , um esquema que os Comandantes de Batalhão  , colocava seus homens ( PMs ) nas ruas do Rio de Janeiro , para ACHARCAR os comerciantes da região , eles prometiam a segurança . Ao trafico a segurança da venda das DROGAS e Venda de armas , esse eram obrigados (ainda são ) a dar o ARREGO ( UMA QUANTIA ESTIPULADA PELO COMANDANTE ).  Para nós trabalhadores que pagamos o salario desses canalhas fica as FALSAS BLITZ , onde samos ACHARCADOS a pagar 5 ,10,reais , o importante é arrecadar uma quantia já estipulada para levar para o COMANDO , que geralmente está dentro dos BATALHÕES . 

   Esse grupo existia dentro da Policia Militar -RJ , mas só tivemos a confirmação da sua existência com o COVARDE ASSASSINATO da Juizá Patricia Acióli , em agosto de 2011. 



     O ASSASSINATO foi tramado dentro Batalhão de São Gonçalo -RJ , pelo seu COMANDANTE e alguns OFICIAIS ,  o ASSASSINATO foi executado por policiais do Batalhão . 

  Saiu das sombras e garantindo-se na IMPUNIDADE o que nós aqui chamamos de COMANDO AZUL . 
      E nas últimas semanas o que nós assistimos nos noticiários e lemos nos jornais , é sem duvida ASSUSTADOR para o contribuinte carioca e fluminense.

     Na segunda feira 15 de setembro , deu-se inicio a Operação Amigos SA , comandada por agentes da Subsecretaria de Inteligencia da Secretaria de Segurança Publica e com apoio da Corregedoria -Geral da Policia Militar e do Grupo de Atuação Especial de Controle ao Crime Organizado ( GAEGIO) do Ministério Publico do Estado do Rio de Janeiro . O objetivo dessa Operação é prender 24 policiais militares suspeitos de participarem de um ESQUEMA DE PROPINAS na Zona Oeste do Rio .  



          Entre os policiais presos estava o EX-COMANDANTE do Batalhão de Bangu, Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira , chefe do Comando de Operações Especiais (COE) da PM . O terceiro homem da hierarquia do COMANDO da Policia Militar .  


 O ex-comandante coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira 

 O que nos chama a atenção nessa Operação , são os OFICIAIS presos ; 

O ex-subcomandante major Carlos Alexandre de Jesus Lucas – lotado atualmente no Comando de Operações Especiais 

 Major Nilton João dos Prazeres Neto (chefe da 3ª Seção) 

 Major Edson Alexandre Pinto de Góes (coordenador de Operações)
, Capitão  Rodrigo Leitão da Silva (chefe da 1ª Seção)  

Capitão Walter Colchone Netto (chefe do Serviço Reservado).
Também são acusados de integrar a quadrilha 18 praças e um civil.



  

Mas a corrupção tem nome e endereço e ela não para , nessa semana 9/10 , o Ministério Publico prendeu mais policiais militares envolvidos em CORRUPÇÃO .  A Operação Ave de Rapina cumpriu 16 mandatos de prisão . O grupo é suspeito de sequestrar traficantes e exigir RESGATE de R$ 300 mil . 


De acordo com o MP-RJ, os PMs presos também estão envolvidos no sequestro de dois grupos de traficantes na cidade, no dia 16 de maio deste ano. Um deles seria do Morro do Dendê, Ilha do Governador, e o outro grupo de criminosos comandaria o tráfico em comunidades de Senador Camará, Zona Oeste do Rio. Na ocasião, segundo nota, os policiais teriam exigido R$ 300 mil para a libertação dos traficantes. 


Comandante do batalhão, o tenente-coronel Dayzer Corpas Maciel 



Segundo a secretaria, foi comprovado que na ocasião do sequestro tanto o comandante do batalhão como o chefe do Serviço Reservado (P2) tiveram ciência do ocorrido e se beneficiaram financeiramente com o feito, sendo a quantia reservada ao comandante R$ 40 mil.

Veja a lista de presos:
- Tenente Dayzer Corpas Maciel - Comandante do Batalhão
- Tenente Vítor Mendes da Encarnação - chefiava a P2, como é chamado o setor de inteligência do batalhão
- Subtenente José Luiz Ferreira da Penha
- Sargente Rogério Veiga
- Sargento Francisco Zilvano Fonteles
- Sargento Honorato José da Silva
- Sargento Saint’clair de Araújo da Silva
- Sargento Marco André Lopes da Silva
- Sargente Erickson Barros Pieroni
- Sargento Roosevelt De Guimarães Carvalho Júnior
- Sargento Alexandre Peres Querino
- Sargento Márcio da Silva Figueiredo
- Cabo Saelton Lúcio de Medeiros
- Cabo Luís Carlos da Penha Júnior
- Cabo Luiz Felipe Pereira Martins

- Soldado Henrique dos Anjos Henaut 





 Em maio desse ano o Ministério Publico pediu a prisão de mais 12 policiais militares envolvidos em mais um ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO no Rio de Janeiro .  Dizem que o Coronel está em prisão administrativa e os outros policiais ninguém sabe e ninguém viu .


Tenente-coronel Rocha é acusado de chefiar cobrança de propina

Escutas telefônicas revelaram um esquema de cobrança de propina chefiado pelo comandante do batalhão da Tijuca, o tenente-coronel Márcio de Oliveira Rocha. Os policiais cobravam para fazer vista grossa às irregularidades cometidas pelo transporte alternativo, comerciantes e até traficantes de drogas.


Escutas telefônicas
31 de maio de 2013- 15H57 
O sargento Bruno Mendonça Domingos, o Mendoncinha, liga para o sargento Adalci Dias de Carvalho, pedindo o contato de outros dois policiais militares do 6º BPM. Na conversa, diz que o pedido foi feito pelo comandante, identificado no jargão policial como ‘Mike Meia’.
Adalci - Fala aí.
Mendoncinha - Cara, liga pro Sigolo ou pro Marcelo e manda eles fazerem contato comigo urgente. Urgente! Um dos dois.
Adalci - Tá bom.
Mendoncinha - Tem o Mike Meia aqui que me ligou, falando pra eles falar comigo urgente.
Adalci - Positivo.
31 de maio - 15H57
Segundos depois de desligar, Adalci repassa a ordem. Ele liga para o sargento Márcio Luiz Sigolo Bastos, o sargento Sigolo, pedindo para que ele entre em contato com o Mendoncinha.
Adalci - Sigolo.
Sigolo Bastos - Fala, Adalci.
Adalci - Tem o rádio do Mendoncinha?
Sigolo - O Marcelo tem.
Adalci - Contato urgente aí com o Mendoncinha.
31 de maio - 15H58
Adalci fala com Flavio Souza de Oliveira, do Depósito Público do Detran de Curicica, para onde tinham sido levadas as três motos apreendidas. Flavio diz que os sargentos Marcelo e Sigolo estão com ele — os mesmos citados pelo sargento Mendoncinha a mando do ‘Mike Meia’. O teor da conversa dá a entender que eles pediram a liberação da moto. E que Flavio ligou para Adalci para confirmar a ordem.
Flavio - Fala, sargento.
Adalci - Alô.
Flavio - Tem dois meninos aqui. Tá dizendo seu nome aqui. Dois sargentos. Procede?
Adalci - Tá onde?
Flavio - Curicica.
Adalci - Isso. Procede. Meus meninos. Tudo gente boa. Meus meninos, Marcelo e Sigolo.
Flavio - Positivo. Só tô liberando porque falou no teu nome.
Adalci - Ah, agora estão trabalhando comigo também, eles.
Flavio - Tem duas alas agora, né? Ala 1 e ala 2, né?
Adalci - Tá f..., tá f... Tá corrido.
Flavio - Tá aqui três motinhas.
31 de maio - 16H59
Uma hora depois, Sigolo avisa a Adalci que está deixando as motos no batalhão.
Sigolo - Adalci, na escuta?
Adalci - Fala, Sigolo.
Sigolo - Ó. Vou deixar a moto aqui no batalhão, hein?
Adalci - Ué. O coronel não mandou? Deixa aí. Deixa aí no pátio.


A investigação é do ano passado. Nas escutas, o comandante é chamado pelos PMs de Mike Meia. Em um trecho, os agentes dizem que ele mandou liberar motos apreendidas em um depósito. Em outra gravação, dois policiais falam sobre achacar um caminhão com um carregamento de bebidas.

Onze PMs foram afastados e o tenente-coronel está no setor administrativo, mas o processo está parado na Justiça. 







   Esse é o 5° COMANDO DO CRIME ORGANIZADO do Rio de Janeiro ,o Comando Azul .
 O COMANDO AZUL é uma facção criminosa que está dentro da nossa policia , uma policia que nós trabalhadores pagamos para nos proteger .


  EU SEMPRE DIGO QUE O TOPO DA PIRAMIDE ESTÁ PODRE , GOVERNANTES E OS POLÍTICOS QUE ELEGEMOS PARA ADMINISTRAR O NOSSO ESTADO ,SERVEM APENAS PARA  CUIDAR DOS SEUS INTERESSES PARTICULARES .
    VEMOS ISSO TODOS OS DIAS NAS ESFERAS DO GOVERNO FEDERAL , ESTATUAIS , O LEGISLATIVO  E PREFEITOS .  E QUANDO O TOPO DESSA PIRAMIDE ESTÁ PODRE AS INSTITUIÇÕES SEGUEM O MESMO CAMINHO .